terça-feira, 13 de outubro de 2009

encontro #1 META: COLECTIVO

André, Joana Júlia, João F., João R., Luísa, Susana, Vasco.

JÚLIA: Arquitecta; Trabalho com ASF Barcelona: Barceloneta. Objectivos: Concorrer a concursos em conjunto que não sejam possíveis isoladamente

JOÃO F: Arquitecto; trabalho independente. Objectivos: Criar e desenvolver ideias em comum e em conjunto

VASCO: Arquitecto, Cartoonista. Objectivos: Hipótese de trabalhar com pessoas que façam trabalho interessante

LUISA: Engenheira civil, vertente águas; experiência em licenciamentos. Documentação disponível: planeamento, águas, ren.Objectivos: Trabalhar em equipa; Criar algo que possa tornar –se rentável e depois ir ajustando aos objectivos.

SUSANA: Engenharia civil; especialização em planeamento urbano. Objectivos: Realizar projectos de urbanismo e planeamento do território

ANDRÉ: Arquitecto. Objectivos: Dar sentido ao trabalho que se faz, embora ganhando menos com isso.

JOANA: Arquitecta, Fotógrafa. Objectivos: Trabalhar em equipa, aproveitando diferentes capacidades. Intervir em áreas, projectos e objectos em que se acredite.

JOÃO R: Arquitecto; trabalho independente. Objectivos: Colaborar com pessoas.

Será que faz sentido fazer parte do colectivo estando longe? É necessário para o colectivo: espaço e trabalhar em conjunto

Sobre que áreas nos iremos debruçar?

L: Sessões publicas, avaliações ambientais, obrigatório pela CE pode ser uma área interessante de trabalho

JU: Lado associativo, artístico vs Rentabilizar trabalho

Definir prioridades: concretizar entidade ou começar por concursos?

GRUPO: Avançar com trabalho, formalizar mais tarde a entidade que iremos constituir porque neste momento implicaria desgaste e perda de energia.

Informalidade, começar por criar Dinâmica. A necessidade de formalização surgirá mais tarde.

Hipótese de realizar concursos. Discute-se conceito e tipos de “concursos”

A: concursos não. A ideia de que os concursos são algo que se torna rentável para o dia a dia é ilusória. Definir uma área de intervenção, atitude abrangente em função de uma área especifica por exemplo AML, Lisboa

L: Concursos no sentido de concursos públicos que impliquem construção

S / R: Antes de tornar rentável, concursos para criar dinâmica do colectivo

A / F / JO: Focar o objecto de trabalho em Lisboa

A: Questão de META e ETA: rentabilidade em paralelo com intervenção

Perversidade de pensar que se terá resultado imediato

JU: Qual o mercado a que apontamos?

F: Questão da reabilitação é pertinente

L: Relocalização dos mercados, urbanismo local. Avaliação ambiental estratégica: tornar mais visível para as pessoas. O cliente é o Estado. Possibilidade de trabalho em que se acredita com rentabilidade. Ligação necessária com administração local.

Discutem-se formas de intervenção social e urbana

S: Fez trabalho de moderação entre entidades. Londres. Questão da importância participação publica

L: não procura de forma de expressão cívica ou social mas a aplicação de uma serie de capacidades especificas e profissionais. Não acredita em formas de Expressão cívica misturada com remuneração

A: Discurso positivo, relacionado com ETA que não deve interferir com o lado produtivo e competente, META

L: tem de sair, sugere que se distribuam tarefas, nota de formas de projecto para avançar

Discutem-se formas de intervenção e de transmitir uma mensagem

R: com cartazes a mensagem pode-se perder uma vez que já existe muita informação. Pode fazer-se com fanzine / revista por exemplo.. Cartaz pode ser conotado politicamente. Concursos é a melhor forma de ter uma ideia e transmiti-la sem que se perca no caminho, é uma boa forma de evoluir no trabalho de cada um nas formas de pensamento sobre o trabalho.

V: concursos enquanto forma fácil de trabalhar em conjunto.

JO: acredita mais em ETA do que em META

A: importância das novas ferramentas de trabalho: net, partilha virtual

Discute-se a pertinência de um espaço físico para trabalhar nesta fase.

JO: Hipótese de cedências municipais de espaços para atelier

V: Questão dos espaço pode ser discutida mais tarde, é importante definir primeiro quais os projectos que poderemos abarcar agora para testar como funciona o grupo.

JU: Proposta: Cada um traz propostas de projectos na próxima reunião para se discutir e seleccionar, concretizando na forma de pôr em prática.

A: propor projectos concretos com uma forma de estruturação e com custos associados


Propostas rápidas de projectos ETA:

- a. ciclovias (Vasco)

- b. quiosques (Joana)

- c. transportes públicos (André)

- d. sistema de gestão de espaços mediada pela META (mediação entre população local e administração pública) (Júlia)

- e. peri-urbanidade (Joana)

Cada elemento traz para a próxima reunião pelo menos 1 projecto a desenvolver, idealmente 1 proposta de projecto META e outro ETA

JU: Necessidade de fazer um blog. Boa forma de trocar ideias entre o grupo.

A. faz o blog que servirá de plataforma de ideias e mensagens.

Próxima reunião: 2a feira, dia 19 de Outubro às 19h em casa da Júlia e da Susana


NOTA: a ver: Floresenelatico.es

Recetasurbanas.es

Ecosistemaurbano.es (o blog)

Ted.com

1 comentário:

  1. great!
    good job, jô
    já tenho a minha 'maquete' de processo
    se calhar amanha envio, em espécie de referência/formulário

    More comments, plise

    ResponderEliminar